quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Sonhos psicodélicos de noites mal dormidas - 04/02/2016

 Olar, sentiram falta de mim por aqui?

Acho que já faz um bom tempo desde que publiquei algo que se preze por aqui, o que me faz querer deletar muita coisa e começar do zero, mas o dia que farei isso, esse dia não é hoje.

Hoje trago para vocês uma idéia que tive alguns anos atrás mas nunca botei em prática, um exercício de memória, até posso dizer. Vou contar para vocês alguns dos meus mais profundos e psicodélicos sonhos de minhas mal dormidas noites. Espero que... quem estou tentando enganar?  Se você estiver lendo já é lucro!


Se você já assistiu ao filme Inception (no Brasil, A Origem), você sabe que sonhos não tem um começo, eles têm um meio e acabam muitas vezes sem uma conclusão. A partir desse princípio, as histórias que vou contar aqui não vão ter sentido para alguns de vocês, as vezes nem para mim, porém elas são interessantes demais para se deixar de lado e serem esquecidas.

Vou através desse espaço contar alguns dos meus sonhos. Sinceramente eu tenho um problema com sonhos, é bem raro ter um, mas quando acontece coisas bizarras acontece. Bizarras a um nível Hollywoodiano. Você pode conferir assistindo ou lendo o conto do Cavaleiro Felino que eu escrevi alguns anos atrás.


Não vou adicionar fatos para dar um maior contexto ou nexo para o acontecimento, isso faria o sonho perder parte da sua magia. A sua natureza crua é um charme, devo dizer.
Aproveitem este sonho.

04/02/2016
Hoje sonhei que estava em um mundo parecido com “The Last of Us” em que eu e a Lari (@TeleyoutuBR) estávamos vagando pelas cidades, sobrevivendo, em busca de sei lá o que. 
Acontece que em determinado momento acabamos passando por um pedágio militar, eu confundi os botões do “gamepad dos sonhos” e acabei equipando uma pistola na mão por engano e isso fez com que todos os militares ficassem com raiva e corressem atrás de nós.

Mas quando eu digo raiva, é raiva mesmo, do tipo de ativarem uma arma de destruição em massa só para nos caçar. Tivemos que usar barreiras naturais como dunas de neve e rochedos altos para conseguir escapar deles, mas eles não saiam do modo “alerta” de jeito nenhum.

Até que encontrei a Die (@DaisaTJ) e outros amigos do Twitter (tinha uns 5, mas não me lembro quem eram porque eles não falaram nada, só ficaram despistando os militares). Eles nos ajudaram a escapar através de uma passagem em dutos de respiração de uma piscina pública.

Entrei lá dentro e fiquei observando de longe o diálogo entre eles, esperando a Lari me seguir para continuarmos a escapada. Até que alguns youtubers famosos apareceram, inclusive o Colono, o BrksEdu e outros. Eles tinham influencia entre os militares e poderiam nos ajudar a sair dessa confusão.

“Poxa, eu só saquei minha pistola na frente de uns militares”, pensei.

Enquanto esperávamos eles resolverem a situação, fiquei dentro do duto e descobri que não estava tão sozinho quando imaginava. Tinham 8 gatos, 6 filhotes e 2 adultos dentro dos dutos, literalmente morando lá dentro.

Foi nesse momento que a piscina deixou de existir e os dutos viraram um túnel qualquer dentro de uma casa de vidro. Quase adotamos os gatos se eles não fossem de uma outra youtuber famosa.

Foi essa youtuber famosa que me teleportou direto pra casa da edição, onde o Rik @RikEditor estava curtindo um Super Mario Maker. Era como se o tempo tivesse passado e já fizessem alguns dias desde o acontecido. Ele, o Rik, me convidou para sentar e conversar com ele, enquanto a Lari foi para sentar próximo a uma bancada junto com a Die para conversarem.

Fiquei assistindo ele jogar, fazendo comentários ocasionalmen... ah, não vou mentir, falei um monte besteira e depois descobri que ele estava gravando tudo, apontou para as câmeras como se fosse uma pegadinha escondida.

O sonho acabou com um comentário meu:

“Ao menos não saquei uma arma na frente das câmeras”

Todos riram, a Lari disse que era cedo demais para fazer piadas do caso e o sonho acabou.

Acordei.
 
Nos siga em outras redes sociais!