segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Artigo - Trabalhando com Personagens Problemáticos - Suicidas

Sim! Estou de volta!

Acho que você já deve ter se esbarrado comigo em algum canto maker por aí.
Sou Kelvinouteiro, ou simplesmente o Cavaleiro sem Alma, ao seu dispor o/

Para quem não se lembra, ou simplesmente desconhece, anteriormente eu produzi um artigo que tratava de como abordar temas polêmicos em seus textos sem causa uma certa influência negativa no leitor, ou o mais conhecido “Contágio”.

Trabalhando com Personagens Problemáticos

Nesse novo artigo decidi por abordar um assunto tão polêmico quanto o anterior.

O Suicídio

Bom, antes de começar, te pergunto. O que você sabe sobre o Suicido?

Provavelmente você teria respondido “Ah, é quando alguém se mata, dãh”. Outros teriam ido mais fundo “Bom, o suicídio é um ato desesperado de alguém que não consegue mais viver. Normalmente a pessoa é alguém deprimido”. Nossos cavalos de plantão teriam respondido algo do tipo “Ah, suicídio é coisa de quem não tem uma loucinha pra lavar! Isso aí é coisa de emo!”.

Bom, ignorando essa ultima, as outras duas estão corretas.

O Suicídio, basicamente, é o ato de alguém provocar a própria morte premeditadamente. As vitimas podem ser qualquer pessoa, desde crianças, jovens e adultos até idosos.

E o que pode levar uma pessoa para esse Fim?

São muitos os fatores, mas normalmente o que leva uma pessoa a fazer isso pode ser uma doença mental (depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia...), uma doença física que cause muita dor (câncer, tumores, doenças crônicas...), problemas psicológicos (perdas recentes, perda de parentes na infância, histórico de suicídio na família...) entre outras coisas...

Putz, mas isso parece ser mais complicado do que eu imaginava. O que eu posso fazer para ajudar?

Realmente é complicado, mas se você conseguiu identificar algum desses fatores acima, o próximo fato é conversar com essa pessoa. Vocês precisam ser claros e compreensivos, afinal, na maioria dos casos as vítimas querem apenas ser ouvidas. Você precisa saber o quão perto esse indivíduo está de se matar. Depois, procure uma ajuda especializada.
Bom, como eu posso reconhecer um suicida em potencial? Eles deixam algum tipo de sinal?

Sim, na maioria dos casos eles deixam alguns sinais de alerta. Como:

*Ele só fala do passado, não fala do futuro e não faz planejamento algum;
*Começa a distribuir tudo e perder o apego aos bens materiais;
*Um cuidado especial para aqueles que sofrem de depressão. Quando eles resolvem se matar eles apresentam uma melhora muito grande, mas na verdade, ele só está feliz, pois tomou uma decisão.

Olha, tudo isso é muito interessante e instrutivo, mas... No que isso pode um escritor como eu?

Simples. Para você, escritor, deixarei algumas idéias e precações a serem tomadas.

1º Quando abordar esse tema tome cuidado para não passar uma idéia negativa ao leitor. Evite o Contágio. Faça o leitor refletir sobre os atos do personagem e perceber que não vale a pena.

2º Use e abuse do sentimentalismo na cena e no personagem. Não tenha medo de deixar meloso demais, pois é mais ou menos assim que pessoas que tem essa idéia se sentem. Não tenha medo de deixar ela comovente e provocar choro no leitor, pois se você conseguir fazer alguém chorar com essa cena, você conseguiu o que queria (mas tenha cuidado com a regra 1º).

3º Já falei para tomar cuidado com a regra 1º?
3º (de verdade) Para um melhor entendimento do assunto e aprofundar a cena procure em livro, no Google ou converse com algum professor sobre esse assunto. Um pouco de pesquisa não mata ninguém.

Por enquanto, é só isso.
Próximo Artigo, só daqui a algum tempo.

Fonte: Jornal A Noticia, 12/07/2009. Caderno especial: Anexo Domingo

Recomendações de pesquisa: 7 Vidas (Filme – Will Smith), Google, revistas de Psicologia.


Abraços do Cavaleiro Sem Alma o/ (preparando a Segunda parte do LGB [A Lenda do Grupo Bourne])
Nos siga em outras redes sociais!