segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Geração 128B - Okami (PS2)

Hay, hay, eu sei, você deve estar se perguntando "Tio Keel! Não era seção nostalgia???"

A resposta é: SIM! Mas não é mais xD

Mudei, assim como tudo na vida muda, então, se acostumem com esse novo nome do bloco -Q



Bora falar do jogo? =B

Okami


Okami é um jogo de ação e aventura publicado pela Gigante Capcom e desenvolvido pela Clover Studio e lançado em setembro de 2006 para a plataforma PS2.


Este é um dos jogos que entraram facilmente para o meu TOP 10, ou melhor, chegou a entrar no TOP 3 de jogos de PS2. Então abram suas mentes e vejam a beleza desse jogo.

Diferente das duas análises anteriores, vou pincelar mais lentamente e pacientemente sobre esse jogo por motivos dele ser BEEEM complexo mesmo em sua simplicidade. Então, bora lá?

História:


Okami é um jogo recheado de lendas Japonesas e se passa em um Japão Feudal num mundo Fictício.

O jogo começa com uma apresentação contando que 100 anos antes dos acontecimentos atuais do jogo, existia um demônio chamado “Yamata no Orochi” (que significa: Grande cobra de oito cabeças) que espalhava medo e morte por onde passava.

Orochi era um Demônio tirano que pedia sacrifícios humanos em troca de não atacar determinada vila.

Quando sua amada foi escolhida para ser sacrifício, Nagi, um guerreiro da vila Kamiki se revoltou, pegou sua espada e foi atrás das cabeças de Orochi, e contou com a ajuda de Shiranui, um lobo branco poderoso, para derrotar Orochi.

Mesmo depois de derrotar Orochi, eles não foram capazes de matá-lo, por isso selaram-no em uma caverna. E assim, a paz voltou para o Japão.

100 anos depois, um descendente do Herói Nagi, Susano, acidentalmente quebra o selo que prendia Orochi naquela caverna e assim então, trazendo novamente o medo e o caos as terras do Japão.

Vendo isso, Sakuya, que é um espírito protetor da vila Kamiki invoca Amaterasu, a deusa do Sol para salvar o Japão e acabar com a maldade de Yamata no Orochi. Amaterasu reencarna na forma de um lobo branco, semelhante à Shiranui, e é dito em muitos momentos do jogo que reencarnou como uma descendente de Shiranui.

Junto com o artista ambulante de meia polegada, Issun, que mais parece uma pulga, partem para essa missão de trazer vida de volta para aquilo que Orochi destruiu.

Amaterasu não fala, porém Issun preenche a falta de diálogos dela, falando o suficiente para os dois, cobrindo como uma espécie de narrador “Comic Relief”.
Comic Relief resumidamente é um tipo de narração cômica que quebra a tensão e o drama das situações com uma pitada de humor. (Ps.: Comic Relief significa algo como: Alívio Cômico).

Jogabilidade:


A jogabilidade de Okami além de peculiar é extremamente funcional.
Você que é fã da jogabilidade de Zelda vai se familiarizar bem rápido com este jogo.

A jogabilidade mistura Ação, aventura e puzzles do começo ao fim do jogo, e não se perde em nenhum momento da trama.
O controle da Amaterasu é fluido, não há muitos segredos depois que se pega o jeito.

Uma das coisas inovadoras o “Celestial Brush” ou o “Pincel Celestial”.
Para ativar o Celestial Brush, você aperta R1 e uma tela aparecerá com um pincel onde você pode fazer pinturas controlando com o analógico esquerdo.
Essas pinturas servem de habilidades especiais que vão desde dar vida a plantas, fazer o sol nascer, cortar coisas, parar o tempo, controlar o vento... Entre outras.

O uso do Celestial Brush é inevitável para que você se desenvolva no game. Apesar de parecer difícil nas primeiras horas, depois que se pega o jeito você vira o Picasso -Q

O jogo conta com um sistema de “Praise”, Louvo, ou felicidade como eu costumo chamar. Você ganha pontos por fazer as pessoas e animais felizes, e com esses pontos, você pode aumentar a vida de Amaterasu, ou aumentar o número de vidros de tinta que pode carregar.

O jogo em si é linear, porém conta com centenas de missões secundárias que permitem ao jogador viajar de um canto a outro do mapa sem se importar com a missão primária.

Nota: Se você quer zerar o jogo 100% com tudo completo pode esperar por umas 100 horas de jogatina, no mínimo.

Gráficos e Sonorização:

A beleza gráfica desse jogo é realmente algo especial.

Os desenvolvedores gráficos utilizaram muito bem a capacidade do PS2 para produzir o jogo.


Ele conta com muitas cores, em um formato meio cartoon que lembra bastante pinturas japonesas expostas em museus.

Porque juntei Sonorização no mesmo tópico?
Porque os dois se completam.

Cada ambiente, cada bioma, cada mapa tem uma música diferente que se encaixa perfeitamente com ele. É realmente incrível tanto o trabalho gráfico, o trabalho sonoro como também o trabalho de uni-los.

Realmente, quando largo o controle e deixo tudo parado, realmente parece que estou jogando em uma obra de arte.

Curiosidades:

Okami recebeu um segundo jogo da série chamado “Okami-Den” na plataforma Nintendo DS. Além disso, este ano foi lançado para PS3 uma remasterização em HD (High Definition) de Okami.

A versão do Wii permitia o uso do Wiimote para controlar o pincel, mas o jogo não vendeu tanto quanto os desenvolvedores imaginavam

Considerações Finais:

É o Top 3 do meu Top 10.
Quer saber mais do que isso? Vai jogar pra saber xD

Beijo pra quem quer beijo, e abraço pra quem quer abraço õ/
Nos siga em outras redes sociais!