segunda-feira, 30 de julho de 2012

Décimo Capítulo - Minha Rotina (Reta Final)

Pois então, estamos na reta final.
A série está acabando, mas não chorem, não vou deixar vocês com um final triste e mal acabado. Estou trabalhando para que seja um dos melhores finais de qualquer coisa que vocês já tenham lida ou visto.

Bom, enquanto esperam pelo final, que tal rever os outros capítulos ou encher meu saco no twitter? s2 -q
Boa leitura, e boa noite :3
Leia também:

Capitulo 1 Capitulo 2 Capitulo 3 Capitulos 4 e 5
Capitulo 6 Capitulo 7 Capitulo 8 Capitulo 9

Minha Rotina - Dia 10

30/07/2012

Ãhm, como vou explicar os dois últimos dias?
Bom, vejamos... Madrugada de sábado para domingo...
Roger realmente apareceu aqui em casa com uma maleta cheia de dinheiro, mas deixou em cima da mesa sem dizer nada e foi embora. Ele nem se quer me acordou para dar explicações, simplesmente sumiu. Tentei contatar os pais deles, mas eles disseram que ele já tinha feito as malas e ido embora há algumas horas atrás sem dizer pra onde iria. Quem sabe ele tenha mudado de país, talvez.

Enfim, não é hora pra choramingar. Por mais que eu queira correr atrás deles e dar uns sopapos nele, já é tarde. A essas alturas ele já deve estar na Conchichina. Pelo menos ele deixou uma carta de “desculpas” se explicando.

Marc, conhecendo você e sabendo como você é frio, não vou pedir desculpas por sumir. Seu bastardo sem coração! Brincadeira.
Eu sei que lhe devo explicações e que você tem muitas perguntas a respeito daquilo que eu disse na TV, mas não tenho tempo a perder. Vou tentar explicar o máximo que posso nessa carta e com isso, diminuir as suas dúvidas e o peso na minha consciência.
Em primeiro lugar, esse diário que eu lhe dei não é um diário qualquer, mas isso você já sabe. Uma coisa que você não sabe é que ele não é um diário dos desejos, e sim um diário do extremo. Como assim?
Difícil explicar, mas, me deixe tentar resumir. Também não entendi direito quando o homem do bar explicou. Funciona da seguinte forma:
Quando você escreve algo num diário comum você transforma emoções em palavras formando assim uma “história” do seu dia, por assim dizer. Mas no diário do extremo as emoções transformadas em palavras tomam uma forma real a partir do coração de quem está escrevendo.
Sendo assim, quando você escreve algo com muita força de vontade, ou fé, o diário lê e de algum jeito transforma ela em realidade, só que de um jeito maximizado, exagerado, extremo. Por isso que quando você escreveu “Diabos!” apareceram demônios de verdade, porque você colocou tanta emoção naquilo que o diário realizou. O mesmo aconteceu sobre o assalto.
As emoções lidas pelo diário são: Ira, Amor, Desejo, Ganância, Desespero, Medo e Alegria.
Bom, agora você faz mais ou menos uma idéia de como funciona, eu acredito. Eu sei que você é um cara esperto, ou não.
Enfim, continuando. Como realmente consegui esse diário e porque eu disse que você me ajudou a ganhar esse dinheiro?
Bom, o homem que me deu estava prestes a morrer de câncer. Ele me disse que tentou se curar através desse diário, mas não teve muito êxito. Segundo ele, esse caderno nasceu a partir dos sentimentos ruins de um homem, que quando sofreu grande pressão, passou por um estranho teste psicológico e espiritual e a partir disso acabou solidificando esse caderno com a sua alma. Creio que existam outros cadernos, ou objetos “mágicos” ou amaldiçoados que nem esses espalhados pelo mundo. É por isso que estou indo viajar. Quero encontrar esses objetos, se é que eles existem e estudá-los.
Voltando a pergunta, eu sabia que você me fez ganhar dinheiro porque primeiro, eu nem apostei na Mega. Segundo, eu conheço sua ganância, e sabia que mais cedo ou mais tarde você pediria por dinheiro ou algo assim. Na verdade, eu esperava que pedisse pra voltar com sua namorada ou pra ser um ditador nazista. Não, estou brincando.
Enfim, de novo, eu sabia simplesmente porque não era possível que eu ganhasse esse prêmio sem alguma ajuda estranha, que foi você.
Só mais uma coisa, o endereço do antigo dono do diário está na ultima página do diário, se você ainda não percebeu.
Mais alguma pergunta?
Ah, sim. Alimente a Beth enquanto eu estiver fora.
Ps.: Beth é minha gata de estimação.
Ps2.: Ela só come ração. Deve estar dentro do armazém, procure por lá.
Ps3.: Ok, este é o ultimo “Ps”. Pode pegar meu PS Vita e meu Nintendo DS para você. Estão dentro do bidê esquerdo ao lado da cama na gaveta do meio.
Aproveite esse dinheiro. Mandarei mais pelo correio para comprar ração pra Beth e comida para você. Adeus.

Essa carta foi a maior conversa que tive com o Roger em tempos. Mesmo sendo um monólogo.
Ele realmente me conhece, devo admitir. Devo admitir também que ele é um grande calhorda por não me contar seu “plano do mal” sobre pesquisar esses objetos.
O falso altruísmo dele parecia mais falso pra mim do que pra ele, mas sei lá, mesmo sendo um calhorda, imbecil, babaca, infeliz e egoísta, confio nele.

Tanto faz, fui buscar a ração e a Beth da casa dele. Vou fazer ela engordar só de raiva. Quero ver a cara dele quando ele voltar.

E por ultimo, babaca, estúpido, cavalo, ignorante, imbecil, eu. Como é que eu não olhei na contra capa/ultima folha? Eu deveria ter visto isso antes... Não estou a fim de ir atrás de um velho louco agora, talvez amanhã, sei lá.
Vou ficar jogando Pokémon Platinum no meu novo DS e ser um mestre Pokémon. O depois fica pra depois.
Bons sonhos, seu caderno exagerado maldito.
Nos siga em outras redes sociais!